Abandono Emocional

27 setembro, 2023



O abandono emocional é a ruptura unilateral de um vínculo afetivo, seja na família, com uma figura materna ou paterna, ou mesmo em relacionamentos amorosos.
Suas consequências psicológicas são profundas e podem persistir por muitos anos.

O abandono emocional pode ocorrer, inclusive, quando não há ausência física. Quem sofre com o abandono emocional muitas vezes experimenta, mesmo com a presença, uma sensação dolorosa de solidão e insegurança afetiva.

É muito importante que, dentro dos núcleos afetivos, as pessoas se sintam amadas, cuidadas e que tenham as suas emoções valorizadas. A falta de apoio emocional e o descaso afetivo podem levar a problemas de autoestima e autoimagem, dificuldades nos relacionamentos interpessoais e uma profunda sensação de vazio interior.

As consequências podem se manifestar de diferentes formas ao longo da vida, como tristeza, baixa autoconfiança, dificuldades em estabelecer laços afetivos saudáveis, insegurança, dependência emocional e até em quadros de adoecimento mental, como transtornos de ansiedade e depressão.

A psicoterapia oferece suporte, acolhimento e auxilia na reconstrução do amor-próprio e da confiança. Durante as sessões, é possível trabalhar a ressignificação das experiências passadas e desenvolver estratégias para resgatar a autoestima, superando a dor e as consequências do abandono emocional.

Nessa jornada de cura e crescimento, é possível reconectar-se à sua essência e descobrir outras poderosas fontes de amor e de valorização.

Isso começa por reencontrar-se consigo mesmo e validar-se, reconhecendo que você merece receber amor hoje; e também por entender que a incapacidade de uma outra pessoa em amar, em algum momento da vida, tem muito mais a ver com quem ela é, do que com você.

 

Depressão: você sabe o que é?

31 julho, 2023


depressão

 

Depressão é uma doença que afeta mais de 11 milhões de pessoas no Brasil.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), daqui há alguns anos, será a doença mais incapacitante do mundo.

É muito importante reconhecer os sintomas dessa doença que gera diversos prejuízos para as pessoas que sofrem de depressão.


Depressão e tristeza

Todos passamos por momentos ruins e perdas importantes ao logo de nossas vidas.

São perdas significativas de entes queridos, mudanças de emprego, de status, de escola, de cidade, enfim...

Situações que nos exigem mais do que adaptação a uma nova realidade.

A tristeza é um sentimento normal nos momentos de perdas e costuma ser passageira, ou seja, não necessita de tratamento.


Alguns sintomas que indicam depressão

No entanto, quando esta tristeza se prolonga e é acompanhada de sintomas físicos tais como perda de peso (ou ganho de peso), diminuição da atenção, dificuldades para dormir (por vezes excesso de sono), etc...

Estes sintomas indicam que é hora de buscar uma avaliação com médico e psicólogo pois pode se tratar de Depressão.

Lembre-se – nem toda tristeza é Depressão e somente um profissional qualificado pode diagnosticar e prescrever o tratamento adequado.

O remédio que a vizinha ou colega de trabalho utiliza pode não ser adequado para você.


Qual a diferença entre Tristeza e Depressão?

Alguns pontos devem ser observados e que diferenciam Tristeza e Depressão:

MOTIVO – a tristeza tem um motivo justificável, e a pessoa sabe por que está triste, podendo ser um desapontamento ou um fracasso pessoal, por exemplo. Já a depressão não tem uma causa que justifique os sintomas, sendo comum a pessoa não saber o motivo da tristeza e achar que tudo está sempre ruim. O sentimento na Depressão é desproporcional aos acontecimentos;
 

TEMPO – a tristeza é temporária, e diminui à medida que o tempo passa ou a causa da tristeza se afasta. A Depressão é persistente, dura a maior parte do dia e todos os dias por, pelo menos, 14 dias;
 

SINTOMAS – na tristeza há sintomas de vontade de chorar, sentimento de impotência, desmotivação e angústia. Na Depressão, além dos sintomas de tristeza, há perda do interesse por atividades agradáveis, energia diminuída, além de outros, como pensamento suicida, baixa auto-estima e sensação de culpa.


Qual a diferença entre Luto e Depressão?

A perda de alguém querido ou a perda de algo muito importante pode gerar tristeza profunda e persistir por vários meses, acompanhada de sentimentos de dor e saudade e lembranças que persistem em devolver o sentimento de perda.

O Luto é uma resposta muito importante de adaptação à perda e é necessário para que os afetos então ligados ao ente ausente sejam redirecionados.

A vida deve seguir seu curso e o Luto tem esta função!

No entanto, por vezes a pessoa pode não suportar a perda e o Luto pode se encaminhar para um quadro de Depressão.

O tratamento para depressão é feito com o uso de medicamentos antidepressivos recomendados pelo psiquiatra e a realização de sessões de psicoterapia com um psicólogo.


 

Sobre a Psicoterapia e a Psicanálise

12 julho, 2023

psicanalise



PSICANÁLISE surgiu na década de 1890, com Sigmund Freud, um médico interessado em achar um tratamento efetivo para pacientes com sintomas neuróticos ou histéricos. Conversando com os pacientes, Freud acreditava que seus problemas se originaram da inaceitação cultural, sendo assim reprimidos seus desejos inconscientes e suas fantasias de natureza sexual. Desde Freud, a psicanálise se desenvolveu de muitas maneiras e, atualmente, há diversas escolas.

O método básico da Psicanálise é a interpretação da transferência e da resistência com a análise da livre associação. O analisando, numa postura relaxada, é solicitado a dizer tudo o que lhe vem à mente. Sonhos, esperanças, desejos e fantasias são de interesse, como também as experiências vividas nos primeiros anos de vida em família. Geralmente, o analista simplesmente escuta, fazendo comentários somente quando no seu julgamento profissional visualiza uma crescente oportunidade para que o analisando torne consciente os conteúdos reprimidos que são supostos, a partir de suas associações. Escutando o analisando, o analista tenta manter uma atitude empática de neutralidade. Uma postura de não-julgamento, visando a criar um ambiente seguro.

A originalidade do conceito de Inconsciente introduzido por Freud deve-se à proposição de uma realidade psíquica, característica dos processos inconscientes. É preciso diferenciar inconsciente, sem consciência, de Inconsciente, conforme elaborado por Freud, que diz respeito a uma instância psíquica base na constituição da personalidade.


psicoterapia

A PSICOTERAPIA tem por finalidade amenizar o sofrimento, desenvolver competências, explorar potencialidades e criar condições para uma vida mais plena, com qualidade e satisfação. É uma ferramenta de auto-conhecimento e transformação.

Psicoterapia auxilia a pessoa a mobilizar suas forças, seus recursos internos, na direção da mudança. No processo, são exploradas e trabalhadas novas competências e capacidades, tanto na relação consigo mesmo quanto no vínculo com os outros.

O resultado é o fortalecimento pessoal, o reconhecimento de sua própria capacidade de agir sobre o mundo, em paralelo com a aceitação dos fatos e circunstâncias sobre as quais não se tem controle. Com isto, aumenta a auto-confiança, autoestima e a capacidade de se relacionar. Igualmente para as realizações, em todas as áreas.

Psicoterapia é um tratamento indicado para transtornos psicológicos diversos e que tragam sofrimento psíquico, como depressão, pânico, ansiedade, transtornos obsessivo-compulsivos, fobias e traumas, entre outros. 

É de grande ajuda em casos de conflitos pessoais ou nos relacionamentos, durante crises existenciais e momentos de transição de vida.


Fonte: Associação Brasileira de psicologia e Psicanálise

 

SOBRE A PSICOTERAPIA

7 julho, 2023